Buscar
  • pedrohenrique993

No Ninho do Corvo, Flamengo Guarulhos é superado pelo E.C. Taubaté – Por Pedruvisk

(Foto/Reprodução: Lolê Arts/@loleartsfotografias)


Que bom te ver mais uma vez por aqui, sócios cooperados e torcedores do rubro negro guarulhense! Vamos para mais uma análise esportiva e desta vez, pela terceira rodada do Campeonato Paulista Sub-20 de 2021, com a partida entre Flamengo Guarulhos contra a equipe do Taubaté, que ficou marcado de polêmicas e com um jogo ofensivo de ambos os lados.

- “Esta coluna é em memória do grande jornalista e radialista guarulhense Osvaldo Tassi, que nos deixou no último final de semana, aos 80 anos. Foi um dos maiores e mais antigo jornalista esportivo na cidade de Guarulhos. Fica aqui as minhas condolências e alento a família do jornalista. Sua história sempre será lembrada por todos nós.”


(Foto/Reprodução: Osvaldo Tassi/Facebook)


PRIMEIRO TEMPO

Em uma tarde de muito calor, em que o termômetro apontava 30 graus, Flamengo e Taubaté entraram em campo, visando mais 3 pontos e garantir sua estabilidade dentro do grupo 8. O Burro da Central, com 100% de aproveitamento e com o melhor ataque do grupo, não temeu o Corvo Guarulhense, mesmo em seus domínios. Defendendo e atacando com a formação 4-1-3-2, o Taubaté pressionou a equipe rubro negra desde o início, com sua marcação alta e criando grandes chances de gol. Todavia, ali nascia a ascensão do grande goleiro do Flamengo: São Thiago! É assim que irei me referir ao guarda redes da equipe guarulhense, até o fim deste campeonato. O camisa 1 não sentiu a pressão da equipe do Vale, fazendo grandes defesas seguras e até mesmo, realizando milagres em bolas que pareciam indefensáveis.

O Flamengo não se intimidou. Se defendeu muito bem na tática que comumente é usada pelo treinador Raphael Laruccia, o 4-3-3, respondeu com grandes contra ataques pela tática 3-4-3, fazendo a ligação dos laterais com os pontas, cruzamentos rasteiros e aéreos foram bombardeados na área do Burro da Central, criando-se chances claras de gol, mas que a zaga taubateana bloqueou com sucesso.

A arbitragem caminhava para uma partida tranquila e controlada, sem cartões para nenhuma das equipes, além de orientar os jogadores em algumas entradas mais fortes, que resultou em um jogo muito fluído no primeiro tempo, com os 22 jogadores deixando a bola rolar.


(Foto/Reprodução: Lolê Arts/@loleartsfotografias)


SEGUNDO TEMPO

Na volta do intervalo, Laruccia realizou a primeira substituição (Sai: 7 – Fernando; Entra: 15 – Muller), na tentativa de pressionar o erro adversário e conseguir marcar o primeiro gol da equipe rubro negra. O jogo recomeçou, o Taubaté voltou a criar novas chances e as faltas começaram a aparecer (algumas, nem haviam a necessidade de serem marcadas) até que...


CADÊ O VAR, PROFESSOR?

Aos 64 minutos, em uma tentativa de chute de voleio do atacante do Burro da Central, a bola atinge involuntariamente o braço do zagueiro Edinei, que havia recolhido os dois braços para as costas, que resultaria em bola na mão (que não é considerado falta), mas o árbitro Carlos Eduardo Gomes marcou mão na bola e consequentemente, apitou a penalidade máxima. Houve muita reclamação dos jogadores, comissão técnica e dirigentes do Flamengo Guarulhos presentes no Ninho do Corvo, e com razão. O cartão amarelo foi mostrado ao camisa 3 da rubro negra, causando grande indignação na equipe guarulhense. Laruccia foi cauteloso, realizando a segunda substituição (Sai: 8 – Sami; Entra: 14 – Aquino), para recompor o sistema defensivo, uma vez que o zagueiro rubro negro estava amarelado.

São Thiago acertou o canto, mas não conseguiu chegar na bola, mesmo vivendo um grande dia. O camisa 5 da equipe taubateana, Ygor, abriu o placar no estádio guarulhense, que seria o mesmo até o final, por 1 a 0. Mesmo com a expulsão do jogador João, camisa 2 da equipe do Taubaté nos acréscimos do segundo tempo, o Burro da Central segurou o resultado até o fim, mantendo o 100% da equipe taubateana na competição, mesmo que isso signifique um resultado recheado de polêmicas.


(Foto/Reprodução: Lolê Arts/@loleartsfotografias)



Opinião – Pedruvisk:

- “Mais uma vez, o Flamengo saiu derrotado. Pode-se pensar que estamos em uma má fase, ou que os jogadores não joguem bem, mas, pelo contrário. O time é aguerrido e muito bem treinado. Os resultados são os que importam no final, mas devemos também refletir que claramente fomos prejudicados. A continuidade do trabalho do Raphael Laruccia na base é crucial, além de revelar novos jogadores para o time profissional do Flamengo Guarulhos, também se aplica o desenvolvimento que já é nítido em todos os jogadores do elenco. Aguentem firmes, garotada e comissão técnica. O trabalho de vocês dará frutos mais rápido do que vocês imaginam, nós acreditamos em vocês.”


(Classificação após a terceira rodada do Paulistão SUB-20 de 2021. Taubaté segue com 100% de aproveitamento, enquanto o Flamengo Guarulhos caiu para a quarta posição, fora da zona de qualificação para a segunda fase. Foto/Reprodução: Cooperativa CICOM/Pedruvisk).

Craque do jogo – CICOM:

O craque do jogo não poderia ir para outra pessoa além do nosso grande goleiro, São Thiago! O guarda redes da equipe rubro negra fez uma partida muito segura, além de grandes defesas cruciais para que o Burro da Central não conseguisse o gol. O nosso camisa 1 foi tão bem que foi reconhecido pela equipe adversária como o grande jogador da partida, em nota oficial. Parabéns, São Thiago!


(Foto/Reprodução: Lolê Arts/@loleartsfotografias)



Notas do Jogadores - AA Flamengo Guarulhos (AAF):

1- Thiago (GOL) (8,5)

2- Rafinha ⬇️ (6,0)

3- Edinei ⬇️ (5,0)

4- Anthony (5,0)

5- Breno (6,5)

6- Caíque ⬇️ (6,0)

7- Fernando ⬇️ (7,0)

8- Sami ⬇️ (6,0)

9- Vinicius Caveira (7,5)

10- Ronald (5,0)

11- Vitinho ⬇️ (6,0)

Reservas:

12- Kenneddy (GOL) ( - )

13- Mega ⬆️ (5,0)

14- Aquino ⬆️ (6,0)

15- Muller ⬆️ (5,0)

16- Cauari ⬆️ (6,5)

17- Yago ⬆️ (6,0)

18- Matheus Jurado ⬆️ (5,5)

Técnico: Raphael Laruccia (7,0)

Nota Geral (AAF): (6,5)


Nota dos jogadores - Esporte Clube Taubaté (TAU):

1- João Pedro (GOL) (7,0)

2- João Victor (4,0)

3- Lucas (6,5)

4- Yuri (5,0)

5- Ygor (7,5) ⚽️⬇️

6- Romero (7,0)

7- Thiago (6,5) ⬇️

8- Mateus (7,0)

9- João Paulo (6,0) ⬇️

10- Victor Hugo (6,5) ⬇️

11- Kayque (7,0) ⬇️

Reservas:

12- Giovanni (GOL) ( - )

13- Ewerton ⬆️ (5,0)

14 - Douglas Fabiano ⬆️ (6,0)

15- Moisés ⬆️ (5,5)

16- Gustavo ⬆️ (6,5)

17- Estevão ⬆️ (5,5)

18- João Vinicius ( - )

Técnico: Frederico Fredericci Testa Junior (7,5)

Nota Geral (TAU): (7,0)


Notas - Arbitragem:

Árbitro: Carlos Eduardo Gomes (3,5)

Árbitro Assistente 1: Paulo de Souza Amaral (3,0)

Árbitro Assistente 2: Sidney Tadeu Mendonça de Oliveira (3,0)

Quarto Árbitro: Vagner Campos Silva (4,5)

Nota Geral (Arbitragem): (3,0)


Cartões Amarelos (Advertências):

2°T - 64 minutos: 3- Edinei (AAF); Motivo: Uso de mão indevidamente na bola.

2°T - 70 minutos: 2- João Victor (TAU); Motivo: Ação Temerária.

2°T - 90 + 2 minutos: 8- Mateus (TAU); Motivo: Ação Temerária.


Cartões Vermelhos (Expulsões):

2°T - 90 + 4 minutos: 2- João Victor (TAU); Motivo: Expulso por após ter sido advertido com o cartão amarelo, ter calçado seu adversário (10 - Ronald, AAF), de forma temerária atingindo sua perna direita, o mesmo não necessitou de atendimento médico.


Lesões:

Não houve lesões.


Estatísticas:

Gols (AAF): Não houve gols.

Gol (TAU): 66' - Ygor (5).

Faltas (AAF): 15

Faltas (TAU): 13

Total de faltas: 28

Tempo de bola rolando no 1°T: 31 minutos.

Tempo de bola rolando no 2°T: 29 minutos.

Tempo total de bola rolando na partida: 60 minutos.


Sobre a CICOM

A CICOM é umas das cooperativas que atuam no estado de São Paulo promovendo o acesso social às habitações. O processo começa com a identificação de um terreno adequado a um projeto habitacional. Na sequência, inicia-se a abertura de cadastramento para que pessoas interessadas se unam com o objetivo de fazer as aquisições dos imóveis. Os cooperados acompanham todas as etapas envolvidas desde o início. Após este processo é desenvolvido o projeto de engenharia e, então, a cooperativa se encarrega de realizar arrecadações entre seus cooperados ou ainda, de buscar crédito e então contratar uma empresa construtora para executar as obras. A cooperativa dispõe hoje de diversos dispositivos de segurança que garantem a confiabilidade no processo, extinguindo mitos e conceitos que antes colocavam em dúvida os investimentos.


Coluna escrita por Pedro Piquetti “Pedruvisk” – Comentarista esportivo e amante do futebol em geral desde 2000.

28 visualizações0 comentário